Fundamentos da Fé

por Shirla Lacerda

Como bem sabemos toda a nossa vida cristã baseia-se na fé. É por meio da fé que somos salvos (Efésios 2.8).  Nós somos justificados pela fé (Romanos 5.1), nós vivemos pela fé (Romanos 1.17). Andamos pela fé (II Coríntios 5.7). É através da nossa fé que vencemos o mundo (I João 5.4). É pela fé que somos curados (Tiago 5.15). E sem mais necessidade de dizer alguma outra coisa, só podemos agradar a Deus pela fé (Hebreus 11.6). Então, obviamente a fé é uma parte muito importante na vida de qualquer cristão que quer agradar ao Senhor e viver uma vida em linha com a Palavra.

Existem tantas abordagens sobre a fé que podemos enfatizar, mas para o nosso texto de hoje eu gostaria de enfatizar sobre a fé e a confissão – Crer e falar.

Crer no coração e confessar com a boca é o princípio básico na vida cristã. Na verdade, somente quando este princípio básico da fé entra em operação é que podemos dizer que nascemos de novo de acordo com Romanos 10.8-10.

A nossa confissão deve estar em linha com aquilo que cremos. Ou então, não estamos totalmente andando em fé como a Bíblia instrui. Não podemos dizer que estamos crendo por algo se aquilo não faz parte de uma confissão diária em nossa vida. Paulo cita em II Coríntios 4.13 um texto do livro de Salmos 116.10: Cri, por isso falei. Estive muito aflito.

O salmista estava aflito, mas ele não confessou o que ele sentia, no versículo 7, ele diz: Volta, minha alma, para o teu repouso, pois o SENHOR te fez bem.

O Salmista traz à lembrança dos feitos do Senhor e de como a sua alma deve descansar desde o versículo 4. Ele fala aquilo que ele crê.

Vemos aqui um homem na antiga aliança que não tinha o novo nascimento ainda, mas ele tinha determinação de andar pela fé.

A nossa fé está diretamente ligada ao que confessamos, e é importante sabermos melhor sobre a confissão da fé. Hoje gostaria de analisar com você Hebreus 3.1:

“POR isso, irmãos santos, participantes da vocação celestial, considerai a Jesus Cristo, apóstolo e sumo sacerdote da nossa confissão”.

Vemos no texto bíblico acima que Jesus é o apóstolo e sumo sacerdote da nossa confissão. (Vou deixar para falar sobre o sumo sacerdócio em outra oportunidade). Por hoje, vamos nos concentrar na parte que diz que Ele é o apóstolo da nossa confissão.

Sabemos que a palavra apóstolo, entre várias definições, significa “alguém que é enviado”, o apóstolo é aquele enviado por Deus para trazer a base ou o fundamento. Quando um apóstolo está em operação, uma das características mais impressionantes do chamado apostólico, que particularmente acho, é que o apóstolo tem a capacidade sobrenatural de trazer ou lançar fundamentos: seja na doutrina, no ensino, ou na Igreja como um todo. Quando o texto aqui diz que Jesus é o apóstolo da nossa confissão, é porque Jesus trouxe fundamento, ele trouxe base à nossa confissão. Mas, como Ele fez isto?

Bem, é importante notarmos o que a Bíblia diz em João 1.14:

“E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade”.

Quero que note no início do versículo em que diz “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós”.

Jesus é a Palavra de Deus, no início Ele (o Verbo) estava com Deus e Ele se fez carne. Ou seja, a Palavra de Deus (Jesus) se materializou. Em Hebreus 10.5 está escrito que Deus preparou um corpo para Jesus. Então, Jesus como sendo a Palavra que tomou forma, nos trouxe com isto o fundamento para que quando, hoje, confessarmos a Palavra de Deus, ela se materializará.

Temos total garantia que a Palavra de Deus que confessamos se cumprirá! Jesus nos deu este fundamento, sendo o apóstolo da nossa confissão. Veja, a confissão não é algo que alguma denominação inventou ou criou para chamar a atenção das pessoas… Não! A confissão se originou em Deus. Ele foi o primeiro a chamar as coisas que não são como se já fossem, (Romanos 4.17).

Foi assim que o mundo veio a existir. (Hebreus 11.3).  Em Gênesis em todo o capítulo 1 vemos repetidamente a frase “e disse Deus…” e “assim foi”.

Em Marcos 11.23 Jesus diz:

“Porque em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito”.

Note que Jesus diz para não duvidar em seu coração, mas crer que acontecerá aquilo que diz, tudo o que disser será feito. Obviamente Jesus não estava falando de você repetir palavras soltas ao vento como um papagaio. Deve haver a convicção no coração. A fé vem do coração. A Palavra de Deus carrega em si o poder para ativar aquilo que diz, a Palavra de Deus é eficaz. É a Palavra de Deus nos seus lábios que vai mover o monte que representa as dificuldades e circunstâncias da vida. Jesus usou o exemplo de um monte físico para ilustrar o poder que existe quando nós cremos na Palavra de Deus e a confessamos.

Obviamente Jesus estava falando de um monte físico naquele momento, aquele monte existia e os discípulos estavam próximos daquele monte. Jesus usa uma ilustração natural para explicar como a fé funciona.

Por que aquele monte físico sairia do lugar e seria lançado no mar? Porque antes de qualquer coisa, foi a Palavra de Deus que criou aquele monte físico. Se o monte veio à existência através de palavras, (Deus usou palavras quando formou o mundo) então ele só sairá dali através de palavras. Esta é uma lição simples que Jesus usou para nos ensinar que quando nós usamos e confessamos a Palavra de Deus, nós teremos os resultados que Deus tem. É importante lembrar que não são as suas próprias palavras tentando tirar o monte do lugar. Você está usando a Palavra de Deus que vai mover as dificuldades e circunstâncias do seu caminho. O seu trabalho é descansar e confiar que a Palavra de Deus está operando e cuidando da situação.

Quando nós temos a consciência que Jesus é o apóstolo da nossa confissão, nós reconhecemos então que é dele todo o trabalho! Na verdade ele já fez tudo que precisava para nos garantir toda a vitória. Ele já lançou o fundamento para a nossa confissão. A nossa base está Nele. E Ele continua o mesmo ontem, hoje e será eternamente! Continue apenas determinado como o salmista e também como Paulo e fale aquilo que você crê.

Até a próxima!

Talvez você goste também

Fechar Menu
X